Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Há mar em mim

Este é um blog onde cabe um pouco de tudo. Imenso como o mar. Haverá opiniões, ideias, fotografias, textos rabiscados, será uma extensão de mim. Se chegou até aqui, detenha-se e sinta-se bem-vind@.

Há mar em mim

Este é um blog onde cabe um pouco de tudo. Imenso como o mar. Haverá opiniões, ideias, fotografias, textos rabiscados, será uma extensão de mim. Se chegou até aqui, detenha-se e sinta-se bem-vind@.

Conversas à hora de almoço...

Ontem, como todos os dias da semana, almoçava em mesa redonda com as pessoas habituais e, a dada altura, uma colega que eu acho que é o oposto de mim e que às vezes mexe com o meu sistema nervoso disse o seguinte:

- Eu adoro visitar cemitérios. É que adoro mesmo a arquitetura dos cemitérios, creio que as sepulturas contam as histórias das pessoas que ali estão.

- Como? O quê? O que é que disseste? - interroguei eu, enquanto lutava para que não me saísse frango pelo nariz.

 

(Imagem aqui)

Não sou a única a achar isto estranho certo? Quando dei por mim já estava a dizer: Não contam nada. O que ali está é uma pedra, escolhida pelos vivos que ficam e paga com as possibilidades que têm, achar que isso conta uma história é um perfeito absurdo, até porque nas lápides ficam escritas frases feitas, normalmente a engrandecer a pessoa que faleceu.

Escusado será dizer que a minha colega amuou e disse: "É a minha opinião.".

Certo. Opiniões não se discutem. Fica lá com a tua...

21 comentários

Comentar post