Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Há mar em mim

Este é um blog onde cabe um pouco de tudo. Imenso como o mar. Haverá opiniões, ideias, fotografias, textos rabiscados, será uma extensão de mim. Se chegou até aqui, detenha-se e sinta-se bem-vind@.

Há mar em mim

Este é um blog onde cabe um pouco de tudo. Imenso como o mar. Haverá opiniões, ideias, fotografias, textos rabiscados, será uma extensão de mim. Se chegou até aqui, detenha-se e sinta-se bem-vind@.

Dermografismo, alguém sabe o que é?

Já ouviram falar em dermografismo?

É um tipo de urticária, também conhecida como urticária de contacto e já me acompanha há uns cinco anos.

Não me sabem dizer ao certo o porquê de ter surgido, mas a verdade é que quando troquei a minha zona de residência (do Alentejo para o Algarve) começaram a surgir uma série de alergias e o dermografismo veio por arrasto, infelizmente. (Altos preços a pagar por querer ter o mar mais perto...)

Esta condição causa imensa comichão e quando a pele é friccionada aparecem vergões, juntamente com vermelhidão e borbulhas, em qualquer parte do corpo. Não há cura, pode desaparecer ou deixar de se manifestar durante largos períodos de tempo ou pode ficar para sempre.

É algo assim parecido com isto:

(Imagem aqui)

É verdade que isto não é grave, na medida em que a minha vida não corre qualquer risco, mas deixem que vos diga que também não é um mar de rosas. Há alturas do ano em que isto anda mais controlado, (atenção, falo-vos com base na minha experiência, com outras pessoas pode ser ligeiramente diferente), mas existem épocas em que o meu desespero é grande.

A única forma de controlar isto é tomando anti-estamínicos, que é coisa que não me agrada andar a fazer constantemente, só mesmo quando estou em desespero de causa.

Quando é que isto se torna pior? Nestas situações:

- com água muito quente;

- quando alguém nos agarra com um pouco mais de "força";

- com roupa mais justa (e parece que agora as marcas fazem as calças cada vez mais justas...);

- quando saímos do banho e estamos mais à pressa e nos esquecemos que temos de limpar a pele com mil cuidados;

- quando a pele não está suficientemente hidratada;

- em situações de stress ou muito emotivas (este último ponto chateia-me bastante, porque não basta estar nervosa - seja com o que for - e o meu corpo ainda decide evidenciar esse facto.

 

Por exemplo, quando fui fazer provas de vestidos de noiva, à Pronoivas, (a única loja que visitei, pois apaixonei-me com facilidade), o primeiro vestido que experimentei tinha umas aplicações que, claro, passaram-me na pele ao enfiar o vestido. Às tantas a senhora que me estava a ajudar soltou um gritinho e pediu-me mil desculpas, em pânico, pois pensava que me tinha arranhado toda (nas costas) e ela nem unhas tinha. Então, lá tive que acalmá-la e explicar-lhe que o problema era da minha pele, que tinha sido o vestido e não ela e que sempre que experimento roupa passo por aquele tormento.

 

Como vos digo, isto não é nada, mas é chato e incómodo e às vezes a sensação de comichão e queimadura é tão grande que fico com lágrimas nos olhos. Nessas alturas encho-me disto (ajuda bastante!):

(Imagem aqui)

 

Gostava de saber se anda por aqui alguém que sofra do mesmo mal. Se souberem dicas, tiverem sugestões, mezinhas ou o que seja, partilhem se faz favor. Pode ser que resultem também comigo.

10 comentários

Comentar post