Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

há mar em mim

É apenas uma opinião pessoal

Andava eu dar uma vista de olhos nos destaques do sapo, quando me deparo com um texto que foi escrito a propósito do regresso às aulas.

A pessoa em questão decidiu escrever sobre os seus piores professores, diz que também teve muito bons professores, mas escolheu falar dos piores.

E eu pensei: "Vamos lá ler isto, é sempre engraçado ver alguém a tentar satirizar os professores, esses desgraçados que têm uma vida tão facilitada e que são tão bem pagos pelo que fazem e ainda recebem o reconhecimento geral da população.".

Agora a sério, li porque tenho noção que os professores não são perfeitos, têm falhas, não estão todos ao mesmo nível de conhecimentos e há os que têm mais ou menos jeito para lidar com crianças/adolescentes. É do conhecimento geral que em todas as áreas temos bons e maus profissionais ou viveríamos no mundo perfeito. Mas não estava preparada para este texto.

São descritas situações graves, que jamais deveriam acontecer numa sala de aula, mas que, pelos vistos, aconteceram. Contudo, não me deixa de chocar o tom de todo o texto, que não só denuncia situações estranhas, mas que goza com aspetos físicos dos "personagens" narrados ou com a forma como se vestiam. Chega a desejar que um antigo professor esteja morto. Uma pessoa que, segundo as palavras da autora da narrativa, foi expulsa da escola (e bem!!!) onde lecionava, ou seja, que terá sofrido as consequências do seu ato de loucura, (que acredito que tenham sido maiores que esta expulsão). Mas haverá necessidade de desejar-se a morte a alguém? É quase como uma concordância com a pena de morte.

Talvez eu esteja errada em achar que isto é incorreto, mas não consegui evitar vir dar-vos a minha opinião. Creio que há demasiado ódio nestas palavras e aquilo que eu julguei ser uma sátira é, na verdade, um texto maldoso.

27 comentários

Comentar post