Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Há mar em mim

Este é um blog onde cabe um pouco de tudo. Imenso como o mar. Haverá opiniões, ideias, fotografias, textos rabiscados, será uma extensão de mim. Se chegou até aqui, detenha-se e sinta-se bem-vind@.

Há mar em mim

Este é um blog onde cabe um pouco de tudo. Imenso como o mar. Haverá opiniões, ideias, fotografias, textos rabiscados, será uma extensão de mim. Se chegou até aqui, detenha-se e sinta-se bem-vind@.

Isto não pode ser jornalismo

Um dia tive o sonho de ser jornalista. Não fui, não sou. 

Contudo, continua a ser uma profissão que me fascina, que acho necessária, porque é urgente saber o que se passa no mundo, de forma imparcial e desprovida de preconceitos. No entanto, tenho para mim que há muitas formas de dar uma notícia e imensas forma de abordar um assunto. 

O Correio da Manhã escolhe sempre o pior caminho. Sensacionalista. Injusto. Não olha a meios para atingir fins. E eu, que não sou jornalista, acho tudo isto um enorme absurdo. 

Que direito tem um jornal ou canal televisivo de exibir imagens de uma suposta violação? Onde se pretende chegar com isto? Noticiar é algo completamente distinto de propagar atos de violência que, do meu ponto de vista, foi aquilo que o Correio da Manhã fez. 

Eu, que não percebo nada sobre a profissão de jornalista, não consigo deixar de pensar na pessoa que terá sofrido os abusos. Não lhe basta ter passado por um momento traumático, que será extremamente difícil de superar e ainda tem de lidar com imagens desse acontecimento e um país inteiro a falar dele. 

Não sou jornalista, mas se fosse queria que o meu nome nunca aparecesse relacionado com este tipo de jornalismo, com este tipo de atitude inexorável. Espero que desta vez o Correio da Manhã seja sancionado à altura do sensacionalismo que propaga. 

(Imagem aqui)

12 comentários

Comentar post