Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

há mar em mim

Lanzarote...uma pedra no Oceano (II)

Retomando a minha viagem a Lanzarote, da qual já vos falei aqui e aqui, hoje venho falar-vos de algumas coisas que poderão visitar por lá, para além das grandes atrações, que são, obviamente, as praias e o Parque Nacional Timanfaya (do qual vos falarei num próximo post).

 

Tías - Casa Saramago e Biblioteca

P_20170811_125542.jpg

 A Casa de José Saramago, em Lanzarote, fica situada na localidade de Tías, é uma casa entre tantas outras, mas que facilmente conseguímos identificar devido à árvore no meio da rotunda, muito próxima da casa, com uma frase da autoria do próprio Saramago, onde pode ler-se: "Lanzarote no es mi tierra, pero es tierra mía."

Uma frase tão simples e tão bela, que resume bem a admiração e o amor que o escritor desenvolveu por esta ilha.

Gostei muito de visitar a casa, pois é-nos permitido estar no seu escritório, apreciar a sua sala de estar repleta de obras de arte, ver o quarto onde respirou pela última vez, penetrar na cozinha e degustar um café português na sua varanda, onde recebia os seus familiares e amigos. Depois, ainda podemos sentir o vento de Lanzarote no seu jardim com vista para o mar.

 

Nesta casa emocionei-me, por saber que estava a presenciar um pedaço da vida do único Nobel da Literatura portuguesa.

E passámos à biblioteca, que detém cerca de 15000 exemplares de livros, que nada mais eram que a biblioteca pessoal de José Saramago. Entre eles está uma relíquia, um exemplar de Cien Años de Soledad, dedicado especialmente ao escritor português por Gabriel García Márquez, de Nobel para Nobel.

 

 

Jardín de Cactus

 

Este jardim é diferente dos que estamos mais habituados quando ouvimos a palavra "jardim", contudo, merece a visita. Foi projetado por César Manrique, um artista, arquiteto, filho de Lanzarote e a pessoa que mais trabalhou para preservar a ilha no seu estado natural.

Aqui podemos encontrar uma coleção de catos oriundos de diversos pontos do planeta, todos dispostos  em circulo e que juntos criam, de facto, um agradável jardim.

Há também um restaurante no local onde podem (e devem!) comer umas deliciosas tapas.

 

Jemeos del Agua

 Os Jemeos são um excelente aproveitamento do que a natureza nos dá. César Manrique utilizou (respeitando ao máximo) as grutas e cavernas feitas naturalmente pela lava e transformou um local, que poderia ser inóspito, numa deslumbrante sala de espetáculos, com direito a restaurante e tudo. No meio ainda nos brinda com uma lagoa, criando em nós a sensação de que estamos num oásis, em pleno deserto.

Ainda neste local, podemos observar uma espécie única de caranguejos albinos, que se desenvolveram numa das maiores grutas deste local, que contem naturalmente agua salgada, dada a proximidade do mar.

 

 

Se pensarem em visitar Lanzarote, não deixem de visitar estas atrações, são menos horas de praia, é certo, mas valerá a pena.

 

Beijocas e obrigada por andarem por aqui

15 comentários

Comentar post