Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

há mar em mim

Que família exemplar!

No fim de semana, como sabem, andei a viajar de carro e na estrada vê-se muita coisa. Boa e má. Vou-vos contar uma a que assistimos e vocês depois classificam-na, pode ser?

 

Eu e o A. vimos uma família a quem, na minha opinião, deveria ser entregue o primeiro prémio do euromilhões, pois eles próprios constituem um verdadeiro jackpot.

Vamos primeiro ao senhor: está-se completamente a borrifar para tudo o que sejam regras, qual Bart Simpson, qual carapuça. Este senhor ignorou um sinal vertical de proibição de ultrapassagem, a linha contínua separadora, a aproximação a uma curva e um carro que vinha em sentido contrário. Sim, é verdade e tudo de uma só vez!

A senhora: fazia a viagem no lugar do pendura e em plena cidade, aproveitando um semáforo que se encontrava vermelho, (que por acaso este o marido até respeitou), abriu o vidro e atirou com um lenço de papel para o chão.

E numa família tão extremosa não havia uma criança? Havia, claro que havia!

A criança: já fora da dita cidade que a mãe decidiu poluir, a criança abre o vidro, (atenção, importa referir que o carro circulava a uma velocidade dita normal, cerca de 80/90 km/h), e segura numa mão um papel verde e na outra uma tesoura. E o que faz? Conseguem adivinhar? Recortes, pois claro, recortes de papel, com as mãozinhas de fora, que o papá não deveria querer o carrinho sujo.

 

Que tal? É ou não uma família jackpot?

 

(Imagem aqui)

35 comentários

Comentar post

Pág. 1/2