Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

há mar em mim

C.S. em 12.12.17

A Margarida

Eram seis da manhã e era inverno. O despertador tocou alto e pontual. Margarida esticou o braço e desligou-o mecanicamente. Nunca lhe apetecia sair da cama, sobretudo no inverno. Mas hoje era (...)
C.S. em 20.11.17

A Dona Celeste

A Dona Celeste passa os dias à janela. Em terra de pescadores ela tem vista privilegiada para a azáfama da vila. Tem setenta e quatro anos e é hipocondríaca, mas não sabe. Às vizinhas (...)
C.S. em 26.10.17

A C.S.

Eu sou do Alentejo.As planícies alentejanas serão para sempre uma paisagem à qual não consigo ficar indiferente. Tenho 31 anos, 7 dos quais passados no Algarve. O mar sempre fez parte de (...)
C.S. em 03.10.17

O Bernardo

Sou o Bernardo e sinto-me desconfortável quando olham diretamente para mim. Nunca pensei ter de recorrer a um psicólogo, mas aqui estou. Bastante cético quanto ao bem que isto me possa (...)
C.S. em 11.09.17

A Mariana

Mariana acordara cheia de dúvidas e medos. Desde as 4h da manhã que não conseguiu adormecer mais. Olhara o relógio quase de meia em meia hora, mas à noite, quando o sono foge de nós, o (...)
C.S. em 29.11.17

A Francisca

As ruas são a sua casa. O chão frio a sua cama. A heroína a sua companheira inseparável.  Há 20 anos atrás era outra. Logicamente mais nova. Ligeiramente mais feliz.  Francisca nasceu (...)
C.S. em 08.11.17

O Renato

- Vai para a puta que te pariu! A frase ecoa-lhe na cabeça, uma e outra vez, uma e outra vez, uma e outra vez... Até que as palavras percam o significado.   Renato tem 9 anos e ouviu a frase (...)
C.S. em 16.10.17

O Dr. Guilherme

Naquele início tarde, de um outono demasiado quente, Guilherme não imaginava o que lhe iria acontecer. Vinha de um agradável almoço com a sua filha mais velha, que iria casar-se no final do (...)
C.S. em 19.09.17

A Adelaide

Adelaide deixa-se cair sobre a cama, exausta, ainda com os sapatos de salto calçados, que hoje parecem ser feitos de chumbo. O seu minúsculo T1 está em absoluto silêncio, não se ouvem as (...)
C.S. em 31.08.17

A Marta

22h35Ouço a chuva, ao longe. Miúda. Ritmada.Algo em mim estremece. Inspiro. Uma e outra vez e cada vez mais fundo e procuro afastar o pensamento que não me sai da cabeça.Fecho os olhos, com (...)