Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

há mar em mim

Uma dúvida que tenho...

É só impressão minha ou o dia do Pai já se transformou, também, num dia consumista?

O dia do pai não era aquele dia em que os pais recebem desenhos coloridos e desalinhados feitos pelos filhos e sentem que é a melhor prenda do mundo? Não é o dia de receber fotografias colocadas em molduras feitas de papel e brilhantes? Não é aquele dia em que os pais fazem de tudo, mais ainda que o normal, para passar tempo com os filhos e recordarem a si próprios o que é realmente importante?

É que eu não paro de receber publicidade, em tudo quanto em sítio, a relembrar que se gostamos muito do nosso pai, então temos de demonstrá-lo através de uma qualquer compra extravagante.

Mudam-se os tempos (já dizia o poeta), mas não se deviam mudar as vontades, pelo menos neste caso, o dia do pai é, essencialmente, um dia para gastar tempo, não dinheiro, bem gasto e expor os nossos sentimentos, sem vergonha.

 

4 comentários

Comentar post