Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

há mar em mim

Uma prenda de Natal antecipada

1998

5.º e 6.º anos passados numa escola. Agora o 3.º ciclo. Nova fase. Decido mudar de escola, com a bênção dos pais, já que a nova seria mais próxima de casa. Mas na adolescência, sobretudo nos anos 90, os verões eram longos e davam que pensar. Arrependi-me.

 

- Mãe, afinal já não quero ir para a escola nova.

- Mas porquê, C.S.?

- Porque todos os meus amigos ficaram na escola antiga. Podemos ir mudar a matrícula outra vez?

- Se é o que queres... Seja.

 

E foi. Mas em setembro uma triste surpresa. Escola antiga e já bem conhecida, mas turma nova. 

Fiquei triste. Andei triste uma semana. Passava os intervalos sozinha e as horas de almoço também. 

Foi numa hora de almoço que a minha professora de matemática do 5.º e 6.º anos reparou na minha tristeza. Perguntou-me o que se passava e eu expliquei-lhe. Tive a sorte de ela ser a vice-presidente do conselho executivo da escola, (creio que na altura chamava assim), e de simpatizar comigo. Nessa mesma tarde voltei para a turma que conhecia e onde estavam os meus amigos.

Mas as aulas já tinham arrancado. Os colegas de mesa já tinham sido escolhidos. Nada nem ninguém tinha esperado por mim. Mas não fazia mal, era ali que queria estar.

No dia seguinte, na aula de Português, aquela que duraria cinco horas se fosse eu a mandar, chega a aluna n.º 1, a miúda que ainda ninguém conhecia porque tinha andado a faltar, e senta-se ao meu lado, pois era o único lugar disponível na sala. 

 

O que se passou a seguir não me lembro. Mas sei que desde esse dia não parámos de falar. De nos entregar. De nos conhecer mais e melhor. Ela ensinou-me a gostar de Hip-Hop e eu ensinei-lhe que um pouco de lamechice não faz mal a ninguém.

 

Crescemos juntas.

 

Ficámos juntas até ao 12.º ano. Depois cada uma foi atrás do seu sonho. Ela mudou-se para Lisboa e eu para o Algarve. Mas nunca nos perdemos.

 

Em 2018 faz vinte anos que nos conhecemos e na semana passada ela convidou-me para ser madrinha do bebé dela. E eu não podia ter ficado mais feliz. 

Que bela prenda de Natal!

 

 (Imagem aqui)

20 comentários

Comentar post