Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

há mar em mim

Uma sugestão para o dia de hoje - The Book of Henry

Bom dia!

Bom domingo!

 

Mais alguém por aí que esteja com espirros frequentes, dor de garganta, olhos a lacrimejar, tosse de cão e dores no corpo? Não?Espero que não... Espero que estejam a aproveitar melhor o vosso fim-de-semana. 

Já eu estou de quarentena, digamos assim, auto imposta, na tentativa de que amanhã já possa retomar a minha rotina, que é como quem diz, ir trabalhar. 

Ontem sentia-me pior, tinha testes para fazer, mas a vontade de trabalhar era zero, por isso ficaram para hoje. Lucky girl, sem dúvida. 

Mas houve algo que fiz no dia de ontem que valeu a pena e é isso que venho partilhar convosco. 

 

Já ouviram falar no filme The book of Henry

(imagem aqui)

 

Conta-nos a história de um menino sobredotado,Henry, que vive com a mãe e o irmão, e da menina da casa ao lado, que é sua colega de turma. 

 

Henry, para além de ser sobredotado, demonstra ter uma maturidade invulgar para os seus 11 anos e muitas vezes compreendemos que é ele que assume a responsabilidade por todas as decisões que acontecem na sua casa.

 

A mãe, interpretada por Naomi Watts, é amorosa para com os filhos, mas um tanto ao quanto negligente, na minha opinião, pois delega demasiado num miúdo que ainda nem entrou na adolescência e este facto irritou-me um pouco. Logicamente que este lado da personagem de Naomi torna-a mais humana, pois não há pais perfeitos. No entanto, o abuso do álcool em frente aos filhos, o uso recorrente de palavrões, a incapacidade de tomar decisões e o gosto por jogos violentos fez-me duvidar das capacidades dela enquanto mãe.

 

Mas a história dá uma volta e dá-nos um murro no estômago. E é a partir daqui que a mãe terá de revelar-se à altura dessa função e apesar de haver uma transformação na personagem, não me convenceu totalmente. 

 

Últimas palavras para os jovens atores deste filme que têm interpretações incríveis, sobretudo os dois rapazes, que desempenham os papéis de irmãos. Talvez dos irmãos mais amorosos que vi no cinema, pelo menos nos últimos tempos. 

 

Deixo-vos o trailer:

 

 

8 comentários

Comentar post