Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

há mar em mim

há mar em mim

Follow friday de abril

27.04.18 | C.S.

O blog que vos vou recomendar hoje é da autoria da Catarina. Diz ela que o blog é pessoal e nele relata os seus dramas quotidianos. E é isso que o torna especial. As partilhas que a Catarina faz connosco, sempre num português tão correto. 

Vejam este post. Foi este que me levou a escolher o Idem, aspas para a follow friday de abril. Espero que gostem tanto quanto eu. 

 

Tenham uma ótima sexta-feira! 

 

 

18. Coisinhas que me irritam

24.04.18 | C.S.

Custa-me a acreditar que já vos trouxe tantas irritações e que esta, da qual vos falarei hoje, ainda não tinha visto a luz do dia.

 

Logo esta! Logo esta que até me causa reações visíveis a olho nu, tais como:

- arrepios;

- cabelos em pé;

- náuseas;

- vómitos;

- taquicardia;

- desejo súbito de morte. 

Sim, leram bem. DESEJO SÚBITO DE MORTE. 

 

E do que falo eu?

 

Nem mais, nem menos... Pessoas que mascam pastilha elástica de boca aberta enquanto exercem as suas respetivas funções laborais. 

Ou seja, isto:

(Imagem aqui)

 

(Imagem aqui)

 

Isto não vos incomoda? 

Não vos transtorna? 

Não vos aborrece que vos perguntem o que querem para o pequeno almoço enquanto mascam desenfreadamente?

Não vos enerva que vos peçam para preencher o impresso x, y e z enquanto ruminam chiclete?

 

Não?

 

A mim a vontade que me dá é esta:

(Imagem aqui)

 

Pronto, já passou...

Desabafar faz bem. 

Não se preocupem comigo. Eu fico bem... 

Hoje é dia do livro e...

23.04.18 | C.S.

...e eu apercebi-me agora.

Agora mesmo. Quando cheguei a casa e a internet me informou. 

Ri-me. Porque antes de vir para casa fui comprar um livro e um postal e fui colocá-los no correio.

Destinatário: a minha sobrinha. Ela gosta de receber encomendas e postais. 

Comprei-lhe um livro que me cativou assim que lhe peguei, um livro que celebra todos os livros infantis.

É um livro que é uma homenagem a todos os outros, com ilustrações fabulosas. Espero que ela o adore. 

Se tivesse sido propositado não teria acertado mais que isto. 

500x.jpg

(Imagem aqui)

 

 

O Ricardo e a Rita

23.04.18 | C.S.

Era hoje. O grande dia chegara.

Ricardo não queria fazer asneira.

Eram sete horas, o sol tinha nascido há pouco. Levava a passada larga e a respiração acelerada. Corria todos os dias 45 minutos, hábito que lhe ficara daqueles meses de dolorosa separação. Tinha começado a correr porque não sabia o que fazer sem ela.

São estranhas as linhas em que a vida se vai escrevendo, pois Ricardo só compreendeu a dimensão dos seus sentimentos por Rita no dia em que ela, lavada em lágrimas, o deixou. Quando a porta da sua casa se fechou Ricardo sentiu o seu coração despedaçar-se. Uma dor que nunca havia experimentado antes apoderou-se dele. Lancinante. Impiedosa. Estranha. Pela primeira vez Ricardo soube o que era sofrer por amor.

Ele sempre fora o centro das atenções. Os seus olhos azuis sempre foram cobiçados pelo sexo feminino. De sorriso doce e fácil, nunca teve dificuldades em arranjar namorada, por isso namorou muito. Desinteressadamente. Saltando de relação em relação, sem se prender. Foi a doce e recatada Rita que abalou o seu mundo. Ruiva, sardenta, de olhos verdes e demasiado grandes. Cruzaram-se no segundo ano da faculdade, quando ela se inscreveu numa disciplina extra ao seu currículo. Sentou-se ao lado de Ricardo sem nunca reparar nele. Era concentrada e tirava apontamentos sem parar. Ele não ouviu uma palavra do que o professor
disse naquela aula, mas sabe exatamente a roupa que ela tinha vestida naquele dia.
Rita não acedera facilmente às insistências de Ricardo para que saíssem juntos. Ao contrário dele, não estava habituada a receber muita atenção. Mas não conseguia ficar indiferente aqueles olhos azuis e um dia acedeu ao convite dele. Apaixonaram-se com extrema facilidade.

Namoraram catorze meses. Mas um dia, Rita descobriu que Ricardo, no jantar de fim de curso, demasiado bêbado, havia passado a noite a namoriscar com uma colega de turma. Confrontou-o. Gritou-lhe. Rita, que nunca perdia a sua serenidade, descontrolou-se. Chorou copiosamente e deixou-o.

O relógio apitou e trouxe-o ao presente. Embrenhado nas suas recordações e emoções Ricardo havia corrido mais que o habitual. Sentia-se cansado, mas feliz por ter conseguido reconquistar a sua Rita. Não fora fácil. Demorara meses, mas ela valera o esforço, a persistência e as noites mal dormidas em que ficara a arquitetar formas da surpreender.

Rita. A sua Rita. Tão bonita.

Hoje pedi-la-ia em casamento. Estava tudo planeado. Levá-la- ia ao Cabo da Roca, o ponto mais ocidental da Europa. Lá fariam um piquenique e Ricardo declarar-lhe-ia o seu amor. Entregaria a Rita o anel que comprara e dois bilhetes de avião com destino à cidade de sonho dela: Nova Iorque.

Rita. A sua Rita. Tão bonita. Todo o seu mundo.

 

(Este texto foi inspirado numa foto do João Farinha. Uma foto lindíssima, por sinal. O conto já andou lá pelo seu blog e hoje decidi trazê-lo aqui.)

Desde que fui à Escócia...

20.04.18 | C.S.

...não paro de pensar nela!

(Já vos falei desta viagem aqui...)

 

Estava um dia cinzento e frio, mas nem por isso Edimburgo perdera o seu encanto. A cidade é tão bonita que nos convida a dar passeios, faça sol ou faça chuva.

Foi num passeio matinal que a vi... Os meus olhos prenderam-se imediatamente nas suas singularidades. Era linda! Deslumbrante, até. Mas como não estava sozinha, não pude parar para contemplá-la ao pormenor. Por isso, segui caminho. 

No dia seguinte, debaixo de uma chuva torrencial, voltei ao sítio onde a encontrara. E lá estava ela... Mais bonita do que me lembrava.

Empurrei a bonita porta verde que me separava dela e tomei-a nas minhas mãos. Infelizmente, ao tocar-lhe, compreendi rapidamente que o nosso destino não era ficarmos para sempre juntas, algo que o meu coração reclamava ardentemente. Mas a razão venceu. 

Com os olhos rasos de água deixei-a para trás. No dia seguinte voltaria a Portugal e os nossos destinos não se cruzariam jamais. E a dor, esperava eu, haveria de atenuar. 

Mas o maldito Google permitiu que eu localizasse a sua residência. Agora sei onde a posso encontrar... E a dor não sara.

Um dia...

Um dia ainda perco a cabeça e faço-te minha!

Bookworm_Brown_Leather_Shoulder_Bag_A.jpg

 

(É linda, não é? Acreditem, se me conhecessem mesmo bem, saberiam que é a minha cara...Também existe nestas versões e cores:)

Bookworm-Library-Leather-Bag-_-Purse-Collection-He

(Imagens aqui)

Aos leitores do há mar em mim...

19.04.18 | C.S.

O tempo avança na sua cadência habitual.

Os dias dão lugar às semanas, que por sua vez se transformam em meses...

É este o ritmo da vida. Dos dias. Dos nossos dias. 

Avançamos entre o trabalho, o stress e as contas por pagar...

Às vezes um prazer que nos enche a alma.

Uma série memorável.

Um bom restaurante.

Um livro que não se esquece.

Um fim-de-semana fora. 

A vida em todo o seu esplendor. 

A vida toda. A nossa existência toda. 

Se tudo correr bem, rimos muito mais do que choramos. 

Se tudo correr bem, somos maioritariamente felizes. 

E às vezes esquecemo-nos de agradecer. 

Agradecer o que nos faz bem. O que se tem.

Agradecer a quem nos quer bem. 

 

P_20180414_132754.jpg

 

Obrigada por estarem por aqui. 

TAG | Primavera

18.04.18 | C.S.

A convite de duas pessoas muito queridas pela comunidade Sapo e arredores - a Joana (sim, essa mesmo, a dona do Quiosque) e a Happy - aqui me têm a dar resposta a esta TAG relacionada com a estação do ano em que nos encontramos. 

 

Venham daí...

primavera.jpeg

 

 Qual é a tua cor preferida da Primavera? 

Eu sou uma pessoa de cores. Adoro cores. Vivas e vibrantes, por isso é difícil escolher apenas uma.

No entanto, vou destacar uma cor que muita gente detesta e eu adoro e que, por acaso, até está bastante na moda este ano: amarelo. 

 

 E como com ela chegam os intensos raios de sol,os óculos escuros vêm a calhar. Qual é o teu modelo preferido? 

Eu uso óculos de sol todo o ano. Adoro a marca Ray-Ban e em breve quero comprar estes:

805289304456_shad_qt.jpg

(Imagem aqui

 

Ora aqui está uma marca à qual me associava sem pestanejar... 

 

 O que mais gostas de fazer nesta estação? 

Adoro apreciar os finais de tarde. O pôr-do-sol cada vez mais tardio e com cores maravilhosas. Adoro pensar que não tarda o verão está aí, mas que não há qualquer pressa. 

 Este foi o de ontem:

P_20180417_201731.jpg

 

 

 Um perfume cujo aroma te lembre esta altura 

No que toca a perfumes há três coisas que precisam de saber, (no que toca à minha pessoa): 

- 1.ª não saio de casa sem colocar perfume;

- 2.ª adoro os cheiros mais doces;

- 3.ª sou muitoooo esquisita no que toca à escolha de um perfume. 

Dentro dos que mais adoro, para esta altura do ano, vou destacar o Kenzo Amour. 

KENZOAMOUREDPVAP100ML.jpg

(Imagem aqui

 

 A tua coisa preferida sobre a Primavera 

O que eu mais adoro na primavera são as flores, que ganham vida, e os dias, que cada vez nos oferecem mais horas de sol. 

 

E já está! Não vou passar a Primavera a ninguém, porque suponho que a maioria de vocês já deu resposta a esta desafio. 

 

Tenham um ótimo dia! 

Pág. 1/2