Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

há mar em mim

há mar em mim

Falemos de férias...

17.08.19 | C.S.

Agora que a pessoa já sabe que terá trabalho por mais um ano, até já tem vontade para falar/escrever sobre as férias. 

Vou-vos revelar por onde irei andar dentro de uns dias e, assim, aqueles que me seguem no Instagram poderão ir vendo algumas fotos da viagem e, eventualmente, alguns stories também. 

Nos últimos dois anos, as nossas férias de verão foram passadas nas Canárias (aqui e aqui). Por isso, este ano propusémo-nos a afastar-nos de Espanha. Por mais que eu goste do país e que sinta sempre vontade de visitá-lo, este ano decidi dar um tempo. A bem da relação. Certamente que quando voltar será tudo ainda mais intenso. Eu e Espanha, eternas amantes, sem dúvida.

 

Mas para onde ir?

 

Ideias não me faltavam. Mas o dinheiro não abunda. Triste realidade à qual não podemos fugir. E ainda há a questão, que todos bem conhecemos, de agosto ser o pior mês para ir de férias, certo? Eu se tivesse escolha nunca gozava férias em agosto, garanto-vos. Locais lotados, preços elevados e para ir para fora da Europa não chega a ser o melhor mês, longe disso. Um problema de primeiro mundo, é verdade, mas ainda assim bem real. 

 

Posto isto, eis que tivemos uma bela ideia. Na tentativa de fazer umas férias mais económicas e de fugir das multidões de turistas, decidimos, finalmente, seguir o melhor slogan que o turismo de Portugal alguma teve, (data de 1995, sabiam?): Vá para fora cá dentro. E é o que faremos. Andaremos por Seia, Lamego, Viseu, Aveiro, Coimbra e Batalha. Num total de 10 dias queremos ficar a conhecer uma zona de Portugal que ainda é um pouco desconhecida para nós. 

(Imagem aqui)

 

(Imagem aqui)

 

(Imagem aqui)

E é agora que peço a vossa colaboração, quem souber de locais, atividades ou restaurantes imperdíveis nestas zonas, por favor, transmitam-me o vosso conhecimento nos comentários

 

Resta-me dizer-vos que estou cada vez mais entusiasmada com estas férias e que já não vejo a hora de ir. Repararam bem na beleza das fotos que partilho aqui? Uau!

 

Fica a promessa de vos contar tudo no final das férias. 

 

Podia ser sempre assim...

16.08.19 | C.S.

Hoje, enquanto tomava o meu pequeno-almoço, já algo tardio, ia lendo, como habitualmente, as manchetes do dia e eis que surge uma que dizia:

Ficaram colocados 24 mil professores. Listas nunca saíram tão cedo.

 

Ai ficaram? Pensei eu.

E fiquei ali a pestanejar enquanto tentava raciocinar. E eis que se fez luz. Seria possível que as listas de colocação já tivessem saído? Elas que saem sempre no final de agosto/princípio de setembro?! E lá fui, desconfiada, ao site da DGAE.

E lá estavam elas. 

Sexta-feira. 16 de agosto. Nunca as listas de colocação de professores saíram tão cedo.

Dirão as más línguas que o governo tentou desviar as atenções da greve. Ou que como é ano de eleições procuram sempre ficar bem vistos. 

Independentemente da razão, a verdade é que a manchete não podia estar mais certa. Nunca as listas saíram tão cedo. O que significa que nunca antes os professores, (contratados, entenda-se), tiveram a oportunidade de gozar parte das suas férias com a tranquilidade de saber o seu futuro. Nunca tiveram tanto tempo para procurar casa ou saber em que escola terão de matricular os seus filhos. 

Portanto, mesmo que exista uma razão política obscura para a saída das listas muito mais cedo do que o previsto, a verdade é que ficamos todos a ganhar com isso. É muito mais fácil garantir um arranque de ano letivo tranquilo, sabendo os docentes de antemão onde serão precisos. 

(Imagem aqui)

 

Quanto a mim, fiquei a saber que este ano faço falta pertinho de casa. Ainda bem. 

 

Agora? Agora vou gozar verdadeiramente as minhas férias.