Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

há mar em mim

há mar em mim

A mim acontecem-me coisas insólitas

15.05.18 | C.S.

Andava eu na sempre entusiasmante tarefa de fazer compras no supermercado, mais precisamente no corredor onde estão as massas e azeites, num daqueles dias em que andava em piloto automático (o corpo estava lá, mas a cabeça andava sabe-se lá por onde...), quando alguém me abana o braço e diz: 

- Desculpe. Olhe, desculpe. 

E eu virei-me. Pestanejei. E percebi finalmente que aquela pessoa que eu estava a ouvir ao fundo, bem ao fundo, a chamar alguém insistentemente, estava, afinal, a tentar chamar a minha atenção. 

- Sim? - digo eu como se tivesse acabado de chegar de Marte. 

- Desculpe. Queria fazer-lhe uma pergunta. - afirma a minha interlocutora, pessoa que eu nunca tinha visto na vida e que, pela indumentária que envergava, estava a publicitar algum produto no supermercado. 

- Diga. - tentei encorajá-la eu atabalhoadamente. 

- É que tenho uma sobrinha. Na Ucrânia, tenho uma sobrinha parecida consigo. - começa ela. 

E eu penso: "está isto bonito, o que quererá a criatura? Um abraço?!", mas o que disse foi um monossílabo:

- Sim?

- Ela é parecida consigo. - repetiu enquanto começava a olhar para as minhas pernas, com ar de quem me estava a tirar as medidas. 

E eu sem perceber nada. Olho em volta e tudo parece normal, só o que estava a acontecer diante dos meus olhos era estranho. E a senhora prosseguiu:

- A minha sobrinha tem o corpo parecido com o seu. - apontou para mim - E eu queria ajudá-la. 

Nesta altura acho que a minha boca abriu-se e fechou-se umas quantas vezes, mas não saiu qualquer som. Portanto, a criatura continuou:

- Ela também é assim gordinha e não consegue arranjar calças. Pode-me dizer onde compra as suas calças?

Podia-me ter dado para rir. Ou podia ter dito à senhora para ir plantar batatas, mas eu achei aquilo tudo tão insólito que balbuciei:

- Salsa. Compro-as na Salsa. 

- NA SALSA?! MAS ISSO É MUITO CARO!!! - quase gritou a senhora. 

E eu envergonhada. E eu a querer fugir. E eu com uma paciência de santa:

- Pois, são caras, mas são boas. Mas às vezes a Promod também tem uma outra de jeito. 

E comecei a afastar-me, questionando-me se aquilo tinha mesmo acontecido. 

Não me lembrei de lhe dizer: "vá ao meu blog, tenho lá um artigo dedicado às calças que uso". 

 

(Imagem aqui)

18 comentários

Comentar post