Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

há mar em mim

há mar em mim

A vida.

02.08.18 | C.S. | ver comentários (17)
Romper com as predefinições,Que hoje eu vou por mim.Traço o meu caminho. Faço-me à estrada.Sem medos.Sem arrependimentos.Os olhos postos apenas no que está além.No desconhecido.Um salto assente em determinação,Que hoje eu vou por mim.Não interessa o passado.E do (...)

A dormência dos dias

05.06.18 | C.S. | ver comentários (9)
Os dias sucedem-se e nós sucedemo-nos com eles.Felizmente.A vida passa e nós procuramos acompanhá-la. Às vezes superá-la.Os dias entorpecem-nos os sentidos,mas há sempre minutos em que conseguimos parar, respirar, apreciar.Ultrapassar a monotonia. Correndo atrás de (...)

O Ricardo e a Rita

23.04.18 | C.S. | ver comentários (11)
Era hoje. O grande dia chegara. Ricardo não queria fazer asneira. Eram sete horas, o sol tinha nascido há pouco. Levava a passada larga e a respiração acelerada. Corria todos os dias 45 minutos, hábito que lhe ficara daqueles meses de dolorosa separação. Tinha (...)

O que mais me comove no mundo

20.03.18 | C.S. | ver comentários (22)
O que mais me comove no mundo é o amor.Em todas as suas formas. Por mais ingénuo e banal que possa ser este pensamento, é genuíno. O amor não se gasta. É absolutamente intemporal.Pensem nos romances que sobre ele já se escreveram.Nos filmes que o retrataram. Nas (...)

Um sentido para a vida

14.03.18 | C.S. | ver comentários (18)
Todos nós, sem exceção, procuramos um sentido para a nossa existência. Uns fazem uma procura deliberada, outros tentam encontrá-la sem saber. Há quem se resigne. Há quem nunca desista. E esta busca louca faz-nos viver numa espécie de limbo. Um lugar de ninguém. 

A Inês

22.02.18 | C.S. | ver comentários (12)
Conduzia sem rumo há mais de uma hora. A raiva, o desespero e uma tristeza profunda tinham tomado conta de si nos primeiros quarenta minutos. Os olhos ardiam-lhe devido às lágrimas que havia derramado. Passavam das 19h.Agora senti-se vazia, como se tivesse ficado oca (...)

A Camila

06.02.18 | C.S. | ver comentários (20)
Fechou a porta de casa. Da casa que ainda era sua, mas que em breve deixaria de ser. Sabia que aquela manhã cinzenta de janeiro seria a última vez que estaria ali. Fechava a porta à casa e à vida que ela conteve. Encerrava naquele gesto não apenas uma moradia, mas (...)

A Margarida

12.12.17 | C.S. | ver comentários (22)
Eram seis da manhã e era inverno. O despertador tocou alto e pontual. Margarida esticou o braço e desligou-o mecanicamente. Nunca lhe apetecia sair da cama, sobretudo no inverno. Mas hoje era um dia diferente e de um salto colocou-se em pé, arrastou-se energicamente para (...)

A Francisca

29.11.17 | C.S. | ver comentários (16)
As ruas são a sua casa. O chão frio a sua cama. A heroína a sua companheira inseparável.  Há 20 anos atrás era outra. Logicamente mais nova. Ligeiramente mais feliz.  Francisca nasceu em berço de ouro, que é como quem diz que teve a sorte de nascer no seio de (...)

A Dona Celeste

20.11.17 | C.S. | ver comentários (21)
A Dona Celeste passa os dias à janela. Em terra de pescadores ela tem vista privilegiada para a azáfama da vila. Tem setenta e quatro anos e é hipocondríaca, mas não sabe. Às vizinhas diz que está sempre pior, que já não passa cá outro Natal. Ao final da tarde (...)